quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Audiência pública reúne autoridades e sociedade civil para discutir o "avanço do mar"

Cerca de 150 pessoas participaram do encontro em Pau Amarelo
A audiência pública sobre “avanço do mar” e obras emergenciais para as praias do Paulista, promovida pelo vereador do município Fábio Barros (PT), reuniu autoridades e sociedade civil, na noite desta quarta-feira (28), na Litoral Recepções, em Pau Amarelo. Representantes dos órgãos públicos estadual e municipal apresentaram os projetos, em fase de andamento, e possíveis soluções para a região. Entre eles, o procurador da República em Pernambuco Marcos Costa; o superintendente da Secretaria do Patrimônio da União em Pernambuco, Paulo Ferrari; o secretário de Planejamento e Meio Ambiente do Paulista, Jorge Carreiro e o presidente do Parlamento Metropolitano do Recife, professor Joaquim Silva.

A realização de ações que funcione de forma conjunta, integrando os municípios afetados pela erosão costeira na Região Metropolitana do Recife, foi um dos pontos destacados por todas as autoridades que participaram da audiência. Segundo o vereador e biólogo, com especialização em Oceonografia, Fábio Barros, os recursos utilizados como tentativa de conter o avanço do mar, na Região Metropolitana do Recife, são inadequados. “O uso de enrocamentos (instalação de grandes pedras à beira mar) traz impacto ao meio ambiente e não soluciona o problema dos municípios porque transfere a energia das correntes marinhas em direção ao litoral norte”, disse o petista. Esse processo de transferência é conhecido como “efeito dominó” e intensificaram a erosão marinha nas praias de Pau Amarelo e Maria Farinha.

O secretário de Planejamento e Meio Ambiente do Paulista, Jorge Carreiro, ressaltou em sua apresentação, que o governo do estado, em parceria com a prefeitura municipal, vai realizar um Plano de Gestão Integrado da Orla, com execução de obras de urbanização, no valor de R$ 14 milhões, inclusive com padronização do comércio da orla. Durante a audiência, o vereador Fábio Barros alertou que a população precisa de obras emergenciais nos pontos críticos, que possam amenizar o sofrimento das pessoas sem degradar o meio ambiente. Entre os participantes, estava Rose Freitas, presidente da Associação dos Comerciantes da Orla do Paulista, que há 25 anos possui um estabelecimento comercial no Janga e convive diariamente com o problema do “avanço do mar”. “Durante todo esse tempo nós nunca fomos representados por nenhum gestor público. Agora, com a atuação do vereador Fábio Barros, que é um político sério, vejo que nossa situação pode mudar”, disse Rose Freitas. A comerciante também informou que, além da falta de obras emergenciais nos pontos críticos, não existe nenhum tipo de manutenção na beira mar.  

Investimentos em pesquisa científica e capacitação de gestores públicos foram um dos pontos destacados pelo procurador da República em Pernambuco, Marcos Costa. Para ele, esta é uma das formas que as ações podem ser executadas com soluções viáveis e eficientes. Sobre intervenções bem sucedidas em outros estados, o engenheiro civil Marcos Lyra retratou que em Alagoas as praias foram recuperadas no período de 6 meses. “Nesse caso é preciso considerar a relação custo – benefício para executar uma obra com resultado otimizado”, destacou o engenheiro. Entre os representantes estava o vereador do município de Olinda, Marcelo Santa Cruz (PT), que participou ativamente da audiência.


Foto: Jaime Fonseca Neto

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Obras emergenciais para conter o "avanço do mar" serão discutidas em audiência pública

O vereador do Paulista, Fábio Barros (PT), promove, nesta quarta-feira (28), às 19h, audiência pública para discutir questões sobre o “avanço do mar” e obras emergenciais nas praias do Janga, Pau Amarelo e Maria Farinha, em Paulista. O encontro acontece com a participação da população e representantes de órgãos públicos, na Litoral Recepções, localizada na avenida Cláudio Gueiros Leite, s/n, após o Forte de Pau Amarelo.

O “avanço do mar” vem destruindo grande parte do litoral da Região Metropolitana do Recife e prejudicando moradores e comerciantes das praias. Os primeiros registros de erosão costeira em Pernambuco foram agravados após a construção do Porto do Recife, que alterou as correntes litorâneas da região. Na praia de Olinda, localizada a 8 km do Porto, foram instalados os enrrocamentos e quebra -mares para conter o “avanço do mar”. Dessa forma, a energia das correntes marinhas foi transferida em direção ao litoral norte, causando grandes estragos nas praias do Paulista. “Estas técnicas (de instalação de enrrocamentos) também foram utilizadas na praia do Janga, intensificando o processo de erosão marinha nas praias de Pau Amarelo e Maria Farinha, conhecido “efeito dominó”, disse o vereador e biólogo Fábio Barros.

Desde 2009, o vereador Fábio Barros atua em diversas frentes para cobrar da prefeitura do Paulista uma solução viável para os pontos emergenciais, a exemplo do Forte de Pau Amarelo. Além disso, também acompanha o andamento do projeto elaborado pela empresa Coast Planning, contratada pelo governo do estado de Pernambuco para apresentar alternativas para a execução de obras regionais de proteção costeira.
 
A audiência pública, desta quarta-feira (28), visa informar a população sobre o andamento desses projetos de recuperação das nossas praias e para cobrar obras emergenciais, que defendam as áreas já degradadas e que essas futuras intervenções ofereçam o menor impacto possível ao meio ambiente. Para isso, o procurador da República em Pernambuco, Marcos Costa; o secretário executivo estadual de Meio Ambiente, Hélvio Polito; o secretário municipal de Planejamento e Meio Ambiente, Jorge Carreiro; o presidente do Parlamento Metropolitano do Recife, professor Joaquim da Silva (Moreno); parlamentares da Assembleia Legislativa, vereadores e demais representantes de órgãos públicos estaduais e municipais estarão presentes na audiência.

Fabio Barros participa do programa de Ciro Bezerra


O vereador do Paulista, Fábio Barros (PT), participa do programa "De Olho na Cidade", com apresentação de Ciro Bezerra, transmitido pela Rádio Olinda AM 1030, nesta quarta-feira (28), às 7:30h. O petista vai falar sobre erosão costeira e obras emergenciais para os pontos críticos das praias do Paulista.

Acompanhe ao vivo: http://radioolindaam.com.br/
   

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Vereador Fábio Barros alerta Defesa Civil sobre ressaca


Nesta segunda-feira, dia 26 de setembro, o vereador do Paulista, Fábio Barros (PT), encaminhou ofício à Defesa Civil do Paulista, alertando sobre a previsão de maré meteorológica (diferença entre a maré observada e aquela prevista pela tábua de mares) para os próximos dois dias, 27 e 28 de setembro.

Segundo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, subordinado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, “o mar ficará ainda mais agitado entre o litoral da Bahia e Rio Grande do Norte, onde poderão ser observadas ondas com alturas acima de 2 metros, havendo risco de ressaca na região”. A previsão indica que as ondas podem chegar a atingir uma altura de até 3,20 m na costa, nos dias 27 e 28 de setembro, devido ao fenômeno Storm, que são ondas de tempestades (elevações da onda associadas às marés meteorológicas).  “Nos locais onde existe situação de emergência decretada ou chamados pontos críticos, a Defesa Civil do município deve orientar ou, se necessário, remover as pessoas do local para evitar risco de acidentes ou mesmo perda de vidas”, informou Fábio Barros em documento enviado à Defesa Civil do Paulista.

No dia 31 de agosto, foi registrada a maré mais alta do ano. As ondas, que chegaram a atingir 2,70 m de altura, provocaram um grande estrago no litoral da Região Metropolitana do Recife. Na praia de Pau Amarelo, município de Paulista, muitas casas e estabelecimentos comerciais ficaram completamente destruídos. Uma faixa costeira, de aproximadamente, 1,5 km do litoral norte da Região Metropolitana do Recife ficou danificada pela força da maré.