terça-feira, 10 de abril de 2012

Paulista pode perder fábrica de laminados


Nos últimos anos, as grandes indústrias têm visto em Pernambuco uma ótima oportunidade para o crescimento dos negócios. O município do Paulista, que já possuiu um dos maiores polos da indústria têxtil do Brasil, faz parte dessa expansão industrial e econômica que tem acontecido em nosso estado. Atualmente, a cidade possui em seu território um total de 47 indústrias de pequeno e médio porte.
Entre 106 cidades brasileiras, Paulista ganhou destaque em uma ‘radiografia’ socioeconômica, urbanística e ambiental divulgada pela revista Veja, em novembro de 2011. A pesquisa foi realizada com municípios acima de 200 mil habitantes e que produzem 27,7% do Produto Interno Bruto (PIB). No item crescimento do emprego, a cidade do Paulista se destacou em primeiro lugar, com aumento de 21,3% no ano de 2010 (comparado a 2009).
O crescimento industrial traz benefício para a cidade do Paulista com a geração de emprego e renda, e também para empresários do ramo que recebem incentivos, reduzindo custos. A Formiline, indústria de laminados ou ‘fórmica’, localizada no bairro de Jardim Paulista, na cidade do Paulista, tem capacidade de produção de um milhão m² de laminados por mês. Ao todo, 120 funcionários, todos moradores de Paulista, compõe o quadro da empresa, que funciona com incentivo do Programa de Desenvolvimento de Pernambuco, o Prodepe.
De acordo com representantes do Sindicato dos trabalhadores das industrias químicas do Pernambuco, atualmente a fábrica está produzindo apenas 300 mil m² de fórmica e 166 espelhos, do tipo BR - que produzem o laminado - já foram enviados a fábrica Suzano (do mesmo grupo em São Paulo). Este processo de desmonte de equipamentos vem acontecendo há alguns meses e preocupando as 120 famílias paulistenses, que precisam desses empregos para sobreviver.
Em busca de alternativas que pudessem impedir o fechamento da fábrica, os trabalhadores da Formiline procuraram o vereador do Paulista, Fábio Barros (PT), que se reuniu com o grupo na última quinta-feira (05/04). A cidade do Paulista, que vem se desenvolvendo socioeconomicamente, poderá perder uma indústria que ajuda nesse crescimento da região e os 120 funcionários ficarão desempregados. Nesta terça-feira (10/04), o vereador Fábio Barros, que já agendou reunião com representantes do governo municipal para tratar do assunto, fará pronunciamento na câmara sobre a importância da fábrica Formline para os trabalhadores, assim como para o desenvolvimento do município do Paulista.